sábado, 16 de junho de 2018

Cronicas de Lê Nunes: o underground de Novo Hamburgo

Olá queridos leitores,tudo certo?

Como já contei aqui semana passada, moro em Novo Hamburgo,RS (Nóia,para o íntimos).
Fica na região metropolitana de Porto Alegre e dá pra dizer que ainda temos uma cena Rock And Roll forte por aqui.
Claro que não se compara a 10 anos atrás, mas resistimos e de vez em quando aparece alguém pra renovar esse ciclo.

Algumas pessoas são consideradas Referência nessa cidade e até mesmo na região, como a Black Rock, a loja de Rock onde pessoas das cidades vizinhas vem comprar suas camisetas, acessórios, canecas, roupas em geral...
O Fábio é uma referência no que ele faz, e um grande amigo também.
Você vai comprar uma camiseta e sai de lá quase uma hora depois, porque ficaram conversando sobre algum assunto que te prendeu ali.

Pro pessoal mais Underground temos a querida Jam Sons Raros, a loja onde o pessoal do Metal compra seus discos,de todas as vertentes do Metal, desde os lançamentos até aquela relíquia que você sempre sonhou. É uma loja meio escondidinha, acho que isso a torna muito mais intimista, é quase como um clube secreto do Underground. Fora as publicações do facebook da loja, montagens impagáveis com o rosto do Peretto (o dono da loja).

Por último mas não menos importante, a figura que pra mim é a base da cultura Rock And Roll da cidade, é uma amizade tão pura e tão antiga (detalhe que eu não tenho nem 30 anos ainda) que beira um caso de amor, com todo o respeito à sua esposa Andreia, a nossa "Reverendissima".
Sim ,estou falando sobre o Félix, o nosso querido "Reverendo". Se eu tivesse que escolher apenas uma pessoa para representar a cena Rock And Roll de Novo Hamburgo seria ele. Inclusive digo pra todo mundo que se você não conhece o Felix, você não conhece a cena. Eu conheci o Reverendo quando fui comprar a minha primeira camiseta de banda, aos 13 anos. Era  uma camiseta do Nightwish. Ele trabalhava na única loja de Rock da cidade, a antiga Back In Black. Depois comprei uma camiseta do Blind Guardian com ele.
E assim o tempo foi passando.

Mais tarde o Fábio abriu a Black Rock e o Felix foi pra lá ser seu braço direito.
Até que mais além o Félix abriu a Rock Books,uma loja dedicada ao Rock And Roll e às raridades de livros e HQs.

Com a crise, o Reverendo fechou a loja e muita gente  ficou quase de luto (eu inclusive).
Mas como esse homem sabe se reinventar e nada parece o abalar, ele hoje trabalha em um Pub, onde também coloca seus livros,CDs,DVDs e HQs pra vender.
A BarBearia se tornou ponto de encontro de um bando de headbanger que vai lá tomar um chopp e papear com o Félix, o nosso querido Reverendo.
E eu, aquela menina que foi comprar a sua primeira camiseta de banda, cresci diante os olhos e influência do Reverendo. Esses dias me disseram que sou a versão feminina dele e me senti lisonjeada, afinal ele promove muitos encontros, faz o pessoal da cena se integrar, é um grande conselheiro e um exemplo maravilhoso de quanto a cena Rock And Roll pode se reinventar.

Que nós possamos levar nas nossas cidades essa renovação para as gerações futuras, assim como o Fábio,o Peretto e o Reverendo fazem.
E na tua cidade? Quem faz a diferença aí?
Conta pra mim lá no insta @lenunnes_   ou na própria matéria!


Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário