quinta-feira, 26 de abril de 2018

A HORA DO CANIBAL #378 & #379


No episódio 378 d’A HORA DO CANIBAL nós passamos por várias fases do rock underground nacional e também em algumas partes do mainstream. Rolamos sons de Far From Alaska, em dose dupla, uma das grandes promessas do underground e que tem feito muitos shows e lotados bares Brasil afora.

Passamos por algumas bandas mistas, com homens e mulheres, rolamos o som da Bulímia, banda feminina, além da garageira dos suecos do Hives, a versão que o Ira! fez para “Chorando no Campo”, do Lobão e alguns hardcores, entre eles DFC e Devotos do Ódio.

Ainda neste episódio tivemos o lançamento em dose dupla da banda Crasso Sinestésico, de Bom Jesus dos Perdões/SP e passamos pelos punks do Flicts, com suas críticas sociais, entre elas a música “Desmascarar sua bandeira”, onde os caras detonam a ordem estabelecida e hinos e pendões.

 No episódio 379 d’A HORA DO CANIBAL você irá curtir várias bandas undergrounds e outras que marcaram época na história do rock’n’roll. O programa começa com dose dupla das garotas do Menstruação Anárquica.

Também rolamos dose dupla de As Mercenárias, clássica banda do undeground brasileiro nos anos 80. Relembramos sons das inglesas da Slits, das estadunidenses do The Breeders, além de rolarmos sons dos gaúchos da Cartel da Cevada, a pedido de ouvinte, e dos fluminenses do Matanza.

Ainda nesse episódio tivemos o lançamento em primeira mão da banda de Guarulhos-SP, Flaming Judas, que lança seu primeiro EP e passamos por dois momentos políticos brasileiros, no início dos anos 90, do século passado, com Engenheiros do Hawaii e a crítica sempre ácida do Ratos de Porão, em meados da primeira década deste século, que mostram dois momentos do Lulismo no Brasil.

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário