segunda-feira, 18 de março de 2019

A banda do momento: MELYRA

Fernanda Schenker - (Guitarra e backing vocal), Nena Accioly (Baixo e guturais), Roberta Tesch (Guitarra e backing vocal), Verônica Voxx (Voz) , Drika Martins (Bateria). foto Wladimir Mello
Depois de uma reunião elas decidiram democraticamente pelo nome Melyra que diz da força feminina característica evidente da banda. Nos últimos meses as produções da banda estão eletrizantes. "Estão a todo vapor! Lançamos nosso novo cd recentemente, se chama 'Saving You From Reality'. A partir disso estamos com nossa agenda de show aberta e recebendo ótimas oportunidades! Estamos trabalhando duro, para levar nosso som cada vez mais longe! Queremos alcançar voos bem altos", comenta Nena Accioly, responsável pelo baixo e guturais da Melyra.

"Cada grupo sabe de si, de suas necessidades e o que realmente almeja, posso dizer que temos muita garra e força para chegar aonde queremos, além de companheirismo, que nos faz ter apoio mútuo para seguirmos cada vez mais adiante. Sabemos tirar aprendizado de erros e também reconhecer e agradecer cada vitória", conta Nena sobre o convívio interno da banda e a relação com o mercado da música.

A vocalista Verônica Voxx fala sobre o processo criativo do grupo. "São várias as influências, desde Heavy metal, Thrash metal, Rock e até clássico! Algumas influências são marcantes em timbres e detalhes e se refletem fazendo o diferencial no momento de composição". A banda tem um EP e um CD. "Digamos que “Dead Light” (que foi a primeira música de trabalho do novo álbum) representa dentre todas as músicas do álbum 'Saving you from reality' um crescimento musical, por sua riqueza em detalhes. Além disso ela se destaca pela mensagem de reflexão que leva em sua letra: Você vive e corre atrás do seu sonho? Ou deixou ele pra traz? Ela é tocada com maestria e mostra o melhor de cada integrante. É uma música cativante, vale a pena conferir", conta Verônica Voxx. Ouça o som abaixo:


"Do nosso EP, 'Catch me if you can', sua faixa título homônima foi uma das responsáveis por despontar e fazer a banda se sobressair dentre as bandas do gênero, conquistando o público e atraindo seguidores pela sonoridade e refrão fortes! Ambas as músicas aqui citadas além das demais, mostram o quanto a Melyra trabalhou e trabalha durante esse processo de forma crescente. Esse é o diferencial. Estamos sempre levando o melhor para o nosso querido público", comenta Verônica.

Lyria: banda toca em Juiz de Fora pela primeira vez


Tocando pela primeira vez em Juiz de Fora, o Lyria realiza um ensaio aberto no Maquinaria estúdio, no dia 22 de março (sexta-feira), às 21h. O evento antecede a apresentação em Belo Horizonte, que acontece no dia seguinte (23/03). O show terá um formato intimista, proporcionando ao público um contato maior com a banda, que inclusive disponibilizará Meet & Greet para todos os participantes. Com preço promocional, o ingresso custa apenas 15 reais e pode ser adquirido online via Sympla ou na portaria do evento.

Em turnê com o disco “Immersion” (2018), considerado um dos melhores do ano em listas de sites especializados, a banda lançou recentemente o clipe “Let Me Be Me”, que superou a faixa de 170 mil visualizações no YouTube. Esses números mostram a boa aceitação da banda pelo público, que chega a acompanhá-los em lives semanais, em shows transmitidos online, ou mesmo financiando lançamento de discos e clipes. Foi assim com o álbum de estreia, “Catharsis” (2014), e no último ano, com o “Immersion”, que arrecadou mais de 13 mil dólares, via crowdfunding.

Com refrãos marcantes, arranjos bem trabalhados e temas de superação, o Lyria reúne fãs de todos os cantos do globo, principalmente na Europa, Estados Unidos e Brasil. No repertório da apresentação em Juiz de Fora, a banda toca as canções do segundo álbum e também os sucessos do trabalho anterior, como “Jester” e “Revenge”. O Lyria é formado por Rod Wolf (guitarra), Thiago Zig (baixo), Thiago Mateu (bateria) e Aline Happ (voz).

O Maquinaria estúdio fica na Rua São Mateus, nº 552, em Juiz de Fora.

Serviço
Lyria em Juiz de Fora
Data: 22/03/2019 (sexta-feira)
Horário: 21h
Local: Maquinaria
Endereço: Rua São Mateus, nº 552 - Juiz de Fora/MG
Ingressos: R$15 (antecipados e no local)
Classificação etária: 12 anos (acompanhado do responsável)
orbe comunicação

sábado, 16 de março de 2019

Lords Of Chaos: A sinistra história do Mayhem


E aí galera do metal, tudo certo?

A pergunta que eu mais recebi nas redes sociais nos últimos dias foi:
-"Mas você não vai falar sobre Lords Of Chaos?"
Certo. Eu poderia ficar aqui por HORAS falando sobre isso.
A história é uma das mais famosas do mundo do metal.

Se você não conhece a história do Black Metal, ESSE TEXTO CONTÉM SPOILERS.

O filme trás três destaques principais:

• Øystein Aarseth, o jovem guitarrista e criador do Mayhem, mais conhecido como Euronymus.
• Per "Dead" Ohlin, vocalista do Mayhem. Um jovem depressivo, aficcionado pela morte após ser dado como morto por alguns minutos na infância.
• Varg Vikernes, (nascido Kristian Vikernes, mas mudou o nome para "Varg" em 1993). Retratado como um rapaz tímido que só queria se enturmar, foi baixista do Mayhem na segunda formação da banda.
Ele também é conhecido como Burzum (nome do seu projeto solo).

 Suicídio, canibalismo, igrejas queimadas e assassinato embalam a história da banda mais sangrenta de todos os tempos.
Porém, vale lembrar que como o próprio diretor avisa no início do filme, é "baseado em fatos reais e mentiras".
Falando em diretor, o filme é dirigido por Jonas Åkerlund, ex- baterista do Bathory.

A licença poética fez Euronymus mocinho e Varg vilão, uma versão bem romantizada daquilo que contam.
Também inventaram uma namorada fictícia para dar um ar mais humano a Euronymus, já que até onde se sabe, nunca se ouviu falar dele com alguém.
Lembrando que sobre o assassinato, só temos a versão do Varg.

No elenco, temos sobrenomes conhecidos como Rory Culkin (exatamente, o irmão caçula do Macaulay Culkin) como Euronymus, e Jack Kilmer, filho do Val Kilmer no papel do Dead.
Dos três personagens de destaque, me chamou muito a atenção a bela atuação de Kilmer.
Toda a parte de caracterização, trejeitos, atuação, foi incrível.

Por outro lado, Emory Cohen (do seriado The OA) trouxe um Varg Vikernes que na minha opinião (e na opinião do próprio Varg)  é uma decepção.
Um personagem bobo, não parece nem um pouco com o jovem Varg das imagens da época, e sem o olhar sarcástico e psicótico que vemos nas reportagens e fotos.

Ainda sobre o elenco, temos Sky Ferreira, uma atriz, modelo e cantora filha de um brasileiro como a namorada fictícia de Euronymus.
Existem comentários sobre o ator que fez o papel de Attila Csihar ser o filho do próprio Attila, mas eu não encontrei fontes suficientes para comprovar o boato.

A nota que eu daria seria um 7.
Não é de tanto ruim, mas como eu sempre esperei um filme sobre essa história, eu esperava mais, sem contar as licenças poéticas que modificaram algumas partes da história.


Segue depoimentos de outras pessoas que assistiram ao filme:



"Lords Of Chaos mostra coisas bem bizarras. Eram basicamente adolescentes mimados que os pais pagavam tudo, inconsequentes e com toques de psicopatia e querer parecer do mal.

Quando o Euronymous tentou sair, já havia feito a cabeça do Varg"
- Caio Botrel, colega do Metal Etílico.

"Bom, eu achei o filme muito bom! Bem feito.... Com verdades, mentiras, versões cruas ou romanceada da história da criação de um dos braços importantes do metal.
Como em todos os estilos, muito se fala, pouco se faz... Ainda bem, porque se fizessem tuuuudo que falam, estariam presos muito antes.
E guardada as proporções, como sempre falei, a purpurina rola solta em todos os braços do metal, a vaidade faz parte da cena!"
- Caroline dos Santos, Professora e Coordenadora Pedagógica.

"O filme mostra uma cultura única, de extremismo, de revolta ideológica. Baseado em fatos reais porém não claros pois quem fez estes atos ainda tem o que esconder devido a lei. Acredito que se sair um livro pré fim de vida vai trazer a tona muito mais, porém para os iniciantes que já não vêem a raiz de um gênero insano, é um bom meio de introdução.

Tantas culturas à tona, política doentia em nosso país, e o caos instaurado, eis que lançam este filme, que para mim, vai influenciar cabecinhas a certos atos."
- Wendell Pivetta, Redator Chefe do Metal Etílico.

E você, assistiu Lords Of Chaos?
O que achou?
Me conta aqui no site ou lá no meu Instagram @lenunnes_

Até a próxima!

sexta-feira, 15 de março de 2019

Taking Back Sunday: ingresso solidário ajudará vitimas de enchentes


Com todo esse caos que a grande São Paulo sofreu nos últimos dias por conta de chuvas fortes e enchentes que tomaram conta de muitos bairros e causaram a destruição e perda de muitos lares, a Pixelticket em parceria com a Powerlinerealizarão a doação de todos os alimentos não perecíveis recebidos na entrada do evento Taking Back Sunday para moradores de São Bernardo do Campo, vitimas desta calamidade.

O show acontece a partir das 18 horas neste domingo, 17, no Fabrique Club, na Rua Barra Funda, 1071 (bairro Barra Funda). Os alimentos serão recolhidos na portaria da casa, junto ao ticket de entrada.

Além de alimentos, a Pixelticket e a Powerline também aceitarão a doação de água, itens de higiene, roupas, calçados, colchões e roupas de cama.

SHOW ÚNICO DO ÍCONE POP PUNK NO BRASIL 

A banda mais famosa de Long Island (Nova Iorque, EUA) prepara um show que promete ser memorável, com todas as faixas do debut Tell All Your Friends no setlist, mais hits de toda extensa e sólida discografia. O quarteto paulistano Raça, expoente do indie rock atual, é a banda convidada para abrir os trabalhos da noite.

Junto à celebração de duas décadas de intensas atividades e muita criatividade para constantemente atualizar a sonoridade que engloba referências do pop, punk, emo, hardcore e hard rock, o Taking Back Sunday lançou no início deste ano a coletânea ‘Twenty’, com duas inéditas - ‘All Ready to Go (que ganhou um divertido videoclipe em animação) e ‘A Song for Dan’ - a primeira está no setlist a ser tocado dia 17/3 em São Paulo.

SERVIÇO

TAKING BACK SUNDAY EM SÃO PAULO 
Data: 17 de março de 2019 (domingo) 
Horário: 18 horas 
Local: Fabrique Club 
Endereço: Rua Barra Funda, 1071 - Barra Funda/SP 
Ingresso: R$ 130, pista (2º lote/promocional/estudante/meia entrada), R$ 200, camarote (2º lote/promocional/estudante) 

Tedesco Mídia

Prudence: danças e constrangimento


Dançar sozinho não é um problema. E você logo perceberá isso ao ouvir “Euphoria”, single e clipe de estreia de Prudence, o projeto solo de Tom Crandles, produtor australiano. O clipe foi dirigido por McLean Stephenson e a música faz parte do EP de seis faixas, “Major Tom”, que será lançado em maio. A faixa “Euphoria” se encontra disponível em diversas plataformas de streaming.

O clipe traz uma vibe de deboche, como se não se importasse em dançar estranho ou, simplesmente, não corresponder às expectativas. O resultado é hipnotizante e vagamente bizarro, uma excentricidade que brinca com os estereótipos e as caras sem expressão. Sempre provocando o público a se mostrar e entrar na dança esquisita.

O baixo assume o papel principal em “Euphoria”. A cada acorde, o coração bate junto e os pés seguem a vontade de dançar. A canção mistura uma forte influência do indie da primeira década de 2000, misturando o etéreo e o eletrônico, sem soar repetitivo.

Baixista e compositor, a carreira de Tom Crandles tem início na banda australiana Au.Ra, que chegou até a cena brasileira por meio de Gabriela Deptulski, da My Magical Glowing Lens. Neste trabalho, o artista revela a visão diferenciada de Prudence, uma espécie de alter ego que leva o ouvinte para uma jornada estranha e transformadora.

O single “Euphoria”, assim como todas as faixas do EP “Major Tom”, foram gravadas sozinhas por Tom Crandles, em Kent (interior do Reino Unido), enquanto o músico fazia uma pausa da correria de Londres, onde ele morava. O projeto foi concluído em Sydney, na Austrália, e mixado pelo próprio artista em Auckland, na Nova Zelândia.

Assista “Euphoria”


Ouça o single “Euphoria”


Orbe Comunicação

Darkhaos: a hora e a vez do triunfo

Oriunda de Fortaleza/CE, a Darkhaos surgiu em meados de 2017 movida pelo desejo comum dos amigosErickson Oliveira (guitarra), Eriel Andrade (baixo) e Kallil van Derick (bateria) em fazer um som pesado, empolgante e melódico. Sem pretensão de atuar como protagonista de uma cena agitada e inflamada pela música extrema, como é a da capital cearense, a banda tocava por diversão e satisfação própria, até a entrada do vocalista Renato Ferreira que, a partir deste ponto, pensou em trilhar um caminho mais profissional em busca de novos horizontes.

Com qualidade técnica afiada e temas líricos variados, em 2018 o quarteto passa a trabalhar em composições que pudessem agradar não apenas ao grupo, mas a todos os fãs de heavy metal e seus subgêneros. As primeiras canções, “Shouting at your Grave”, “Out of the Door”, “Shadows in my Soul” e “He Who Shall not be Named” foram concebidas em uma rotina de ensaios dedicada a seus novos propósitos, que gerou horas de gravações em sessões de estúdio. Surge então, o EP “Shouting at your Grave” que será lançado no primeiro semestre de 2019.

A música da Darkhaos reflete na personalidade artística de seus membros, que tem como referência nomes como Iron Maiden, Helloween, Judas Priest, Simphony X e Dio, que traçam paralelos a outras influências como Slayer, Megadeth, Sepultura e Obituary.

Após a aquisição do EP “Shouting at your Grave”, a Darkhaos convida você a conhecer ao vivo sua performance de palco, em um show de peso, velocidade, violência sonora e melodia, que são atributos aplicados em seu “debut” e que vale a pena conferir.



Formação

Renato Ferreira (vocal)

Erickson Oliveira (guitarra)

Eriel Andrade (baixo)

Kallil van Derick (bateria)

Assessoria Brauna Music Press

quarta-feira, 13 de março de 2019

Sepultura e Peixes Voadores: o show mais esperado do ano


O MAIOR SHOW DA REGIÃO SUL ESTÁ CHEGANDO!
Sepultura pela primeira vez na cidade de Santa Rosa com abertura da maior expoente do bom Rock N' Roll da região Peixes Voadores. Com certeza uma oportunidade de ouro para os ouvidos mais atentos da cena musical independente.

O evento já se encontra no segundo lote, tendo o custo do ingresso acessível para tamanha magnitude do show. O Parque de Exposições de Santa Rosa/RS, no dia 23/03 as 19:00 está preparado para tremer.

Os ingressos podem ser adquiridos na Rock Center na cidade local do show, online pela VamoApp ou via WhatsApp 55 9 9936 6584.

Saiba as excursões disponíveis que te levam ao Show do Sepultura dia 23/03!

Ijuí - 55 99137-3917 (Rocktour)
Santa Maria - 55 9651-2048 (Evandro)
Horizontina e Três De Maio - 55 9940-8381 (João)
Cerro Largo e Santo Ângelo - 55 8105-8048 (Maguila)
Passo Fundo - 54 9901-8358 (Wesley)
Cruz Alta - 55 9171-2099 (Anilson)
Frederico Westphallen - 55 9957-6712 (Fuga)

É de outra cidade e quer apoio para organizar o veículo? WhatsApp 55 9 9936 6584

Classificação: 18 anos.


Postagens mais antigas Página inicial

Postagens mais visitadas