terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Heavy Metal Online: nova união e mais heavy metal


A música pesada nacional ganha um grande reforço para 2019. Trata-se do novo formato de mídia do site Heavy Metal Online. O programa do YouTube está se adaptando para o áudio, e com ele, expandindo a marca e divulgação do metal nacional. Clinger Carlos Teixeira em parceria com o programa Metal Etílico terá espaço para divulgar seu novo material, aonde o conteúdo será voltado para resenhas em áudio, uma novidade para os moldes de mídia musical. 

Será um novo desafio a equipe do Heavy Metal Online, aonde por anos destaca-se por atuar no YouTube, mas nada que uma parceria consolidada não faça a diferença para ampliar o diferencial e buscar a audiência dos fãs do metal. O programa Metal Etílico comandado por Wendell Pivetta já acompanha a tempos o ótimo trabalho dos mineiros, e desde sempre segue nas ondas do rádio tendo vínculo total a Mutante Rádio de Limeira-SP. 

Confira o programa aos domingos, 22 horas na Mutante Rádio, e agora conheça um pouco mais do Heavy Metal Online:


Sobre o programa:

O Heavy Metal On Line é um programa dedicado a divulgação de bandas do cenário underground nacional e aborda os acontecimentos que envolve o meio, divulgando a apresentando novidades e atrações,. O programa reserva espaço para cobertura de eventos, com reportagens, cenas de shows, bastidores e entrevistas. Foi criado em 2012, pelo seu idealizador e apresentador Clinger Carlos e transmitido via internet.
O programa pode ser assistido pelo canal do youtube: www.youtube.com/heavymetalonline e noticias podem ser acompanhadas pelo site www.heavymetalonline.com.br
Endereço para envio de materiais para divulgação no programa:
Caixa Postal 258 / Caratinga-MG / Cep: 35300-975

A banda do momento: INCOLOR


Belo Horizonte é um celeiro farto de boas bandas e é de lá que vem a Incolor. O grupo lançou recentemente seu primeiro CD "Para Colorir" e traz para o público o clipe da música "O Palhaço". O som do grupo é animado e cativante. Os membros explicam que o nome Incolor é algo transparente, que revela o conteúdo, o seu interior. "É isso que tentamos passar em nossas musicas. Nossas letras abordam as relações humanas, a forma como encaramos nossas perdas, nossos ganhos, o amor em sua forma mais pura e inocente, a dor e suas nuances". O que realmente tem tudo a ver com as canções do grupo.

A banda é formada por Flávio Seno, baixista, Tijolim Punkrocker, guitarra, Wellington Silva, guitarra, Rodrigo Gonçalves, bateria, e Jeferson Erê, nos vocais. Nos últimos meses estiveram focados na finalização e prensagem de seu primeiro disco. "Foi um processo quase artesanal, no bom e velho estilo 'faça você mesmo', com erros e acertos", revelam. Nessa semana lançam o clipe da musica "O Palhaço" que é um registro de uma viagem a Brasília em julho de 2014. "Foi um momento muito bacana que serviu acima de tudo para estreitar as relações na banda." Confira:


"Nos dias de hoje há tanta variedade musical que certamente nos esbarramos em algum estilo que remete ao nosso som. Preferimos pensar que somos parte de um todo, sem comparações ou concorrência. Talvez a originalidade venha de agrupar várias influências e condensá-las em nossa música. Não sei se chega a ser original, mas tentamos na medida do possível encarar as situações da vida de uma forma mais otimista. Tanto que nosso lema é 'Rock Positivo'."

 Punk rock, MPB e rock and roll clássico são estilos presentes nas músicas da banda Incolor. "Temos um integrante que ouve punk, ska, guitar band, outro que ouve de música clássica a jazz. Nosso baterista ouve o rock clássico, o vocalista tem muita influência de MPB, o baixista tem bastante influência de rock nacional dos anos 70 e das guitar bands da década de 90. Assim é que formamos esse amálgama que é o som da Incolor".


Quanto ao maisntream no Brasil atual eles são realistas. "A música hoje é muito volátil. No maisntream não se faz 'arte', mas algo para se consumir (e consumir aqui no pior sentido, no qual as coisas são descartáveis). Consequentemente, esse produto perece. Isso também tem a ver com a maneira como os jovens consomem a música. Creio que nunca mais veremos grandes grupos como antigamente".

"Para Colorir" é a música de trabalho, que dá nome ao CD. "Tanto o instrumental, cuja influência de cada integrante está bem representada, como a letra ilustram bem a proposta da banda. Essa música sintetiza uma ideia do nascimento do amor por duas crianças, no qual esse amor é algo puro. É o que imaginamos ser o ideal nas relações humanas, no convívio em sociedade".

segunda-feira, 21 de janeiro de 2019

Paquetá: "Badtrip For Democracy" em boa onda


Boa onda e muita crítica em meio ao Surf Music apresento a Paquetá, banda de Canoas-RS tocando um belo som instrumental cheio de experimentalismos modernos. Sonoridades em meio a áudios de WhatsApp com influencias dos anos 80 fazem deste segundo EP da banda, uma viagem musical muito bem elaborada. 


Os guri da Paquetá estão presentes em coletâneas de Suf Music como a Brazilian Tsunami produzido pela Reverb Brasil, sem falar em uma agenda repleta de shows, frutos de um belíssimo trabalho aonde seu instrumental fala mais alto e faz o ouvinte viajar longe na onda musical.

Wender Zanon, baixista da banda, completa: "As referências aqui passeiam por sonoridades e texturas mais voltadas aos anos 80. Outra curiosidade sobre o trabalho é a arte de capa assinada por Daniel Hogrefe, guitarrista da banda, que reflete sobre a textura do disco e sobre o momento da "badtrip for democracy". 

(foto Lucia Marques)

Biografia:

Paquetá é o nome da praia de Canoas. Uma prainha que não tem onda e é imprópria para banho. É uma praia que não é bem praia. Tipo o som da banda que é surf music, mas não é bem surf music. Paquetá também é uma palavra com origem na língua tupi. Significa "muitas pacas", pela junção de paka (paca) e etá (muitos). As pacas são Bruno Fogaça (bateria), Daniel Hogrefe (guitarra), Vinicius Dagger (guitarra) e Wender Zanon (baixo).
A banda foi formada em 2015. Em três anos, já foram cerca de 70 apresentações pela região metropolitana de Porto Alegre, interior do RS e algumas apresentações em SC. As principais influências sonoras passeiam por nomes como Man or Astroman?, Ramones, Dead Kennedys, Neu!, Pink Floyd e The Cure.
Ficha técnica do Badtrip for Democracy:
Mixed and mastered by Jeferson "Bolha" Marchetto 
Produced by Bolha & Paquetá. 
Recorded at Estúdio Navarro, Canoas, 2017 
Art by Daniel Hogrefe

domingo, 20 de janeiro de 2019

Revolução canta clássico do U2 onde viaduto caiu em Belo Horizonte


A banda Revolução apresentou recentemente uma versão da música Where The Streets Have No Name, do grupo U2. O vídeo foi gravado em Belo Horizonte no local onde o Viaduto Batalha dos Guararapes desabou em 3 de julho de 2014 deixando dois mortos e 23 feridos em plena Copa do Mundo da Fifa. Veja o vídeo abaixo:


"Uma canção clássica de um disco importante. Essa é uma versão simples e intimista que jamais se comparará a amplitude da canção em suas versões ao vivo pelo U2", conta Johnny Kiff que interpretou a música no formato voz e violão. "Vejo que nossa função na música e na sociedade é fazer o que estamos fazendo, tocar e se envolver em questões sociais e políticas que podem ser mudadas pela pressão popular", explica o músico.

A música Where The Streets Have No Name é do disco The Joshua Tree, o maior sucesso da banda irlandesa, lançado em 1987. A banda Revolução prepara seu quarto disco de estúdio e passa por mudanças em sua formação. Recentemente tem se tornado mais engajada e apoiado movimentos civis em sua cidade natal Belo Horizonte.

VIADUTO DOS GUARARAPES 

Até hoje ninguém foi punido. De acordo com o portal Brasil de Fato, em 2017, a Polícia Federal divulgou um inquérito que apontou superfaturamento e falhas nas planilhas orçamentárias das obras do sistema BRT, nas Avenidas Pedro I e Antônio Carlos. Segundo a PF, a estimativa é que 36 milhões de reais tenham sido desviados dos cofres públicos. Foram indiciadas pelos crimes de superfaturamento e peculato 17 pessoas, entre elas funcionários da SUDECAP, engenheiros da Cowan e da Consol e servidores da Caixa Econômica Federal. Além do desvio dos recursos, a alça norte do viaduto que ficou de pé foi implodida dois meses após a queda do elevado, o que custou mais R$ 1 milhão.

Os Torto: "É verdade esse EP" modernizando os ouvidos


Modernizando sua bela carreira de 24 anos na estrada, os gaúchos da banda Os Torto disponibilizam seu novo EP nas plataformas digitais. "É verdade esse EP" chega conceitual porém totalmente feito com a originalidade que só a banda sabe produzir. Este é o sétimo registro da banda que planeja lançamento de um novo disco em 2019. Este que é mais um lançamento do selo carioca Morcego Records, liderado por Henrique Badke (Carbona).


Eles nomeiam seu gênero como "Punk de deboche" e juntamente ao EP, divulgam um vídeo clipe especial contando com uma analise de suas composições:



Cocô (Clipe)
Não estamos sozinhos nessa! Não há necessidade de citar qualquer nome aqui. Apenas marcar posição e gritar bem alto que nada e nem ninguém vai tirar de nós a nossa essência. A alegria com senso crítico. A raiva quando necessária. A solidariedade e a empatia especialmente com quem mais tá sofrendo. E, é claro, o deboche. Esse nunca vai faltar. Como eu li esses dias por aí, "serei resistência, mas também serei deboche". E isso a gente sempre soube fazer bem. Nos vemos num porão por aí.
Cérebro Lindo
Nem sabemos direito como começou essa música. Mas percebemos um movimento de larga escala na sociedade de preguiça mental extrema, ao mesmo tempo em que ninguém quer parecer ou deixar claro que não entende de algum assunto. Assim, todo mundo é entendedor de tudo. Mas pra poder acumular tanto conhecimento em pouco tempo, só se fosse estilo Matrix - manja aquela cena do Neo aprendendo a lutar Kung Fu? Aí surgiu assim esse personagem sem nome que narra essa música: alguém que quer ser superinteligente mas tem preguiça de ler, de pesquisar e tenta absorver inteligência de outras pessoas, tipo o Apocalipse do X-Men. No final esse texto é só pura enrolação de alguém que, vá lá, também tem preguiça de ler às vezes. Aqui também cabe uma citação do escritor Isaac Asimov: “Uma onda anti-intelectualismo tem sido uma constante trama se espalhando por nossa vida política e cultural, nutrida pela falsa noção de que democracia significa que "minha ignorância tem tanto valor quanto o seu conhecimento".
Vinícius
O início da vida é permeado de vários momentos incríveis. Quando meu filho, hoje com dois anos e meio, era ainda menorzinho, toda vez que eu ia embalar ele no colo pra fazer dormir, ficava cantarolando melodias de diversas músicas, umas populares e outras inventadas na hora. Uma dessas inventadas se repetia frequentemente. Até chegar ao ponto de eu conseguir imagina-la tocada pela banda. Assim nasceu "Vinícius" - não o meu filho rsrsrs, a música. Curta e direta como um instrumental à lá Descendents/ALL. Com muito amor, carinho e barulho. Se ontem ele dormia com essa música, hoje ele pode dançar. 
Depoimento de Thalis Miguel (baterista)

quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

ENTENDA HC: 'Por Muitas Vezes' é o novo EP dos gaúchos


"Por Muitas Vezes" é o segundo EP da Entenda. Banda de hardcore formada, em 2002, na cidade de Canoas. O EP foi gravado, mixado e masterizado no estúdio Hurricane, em Porto Alegre. Já a produção ficou por conta de Sebastian Carsin e da própria banda. A arte da capa é criação do artista Wendell NarkEdmi. 
O EP foi gravado durante o ano de 2018 e também marca o retorno das atividades da banda. A história da Entenda é como surgiram a maioria das bandas independentes. Formada por um grupo de amigos que dividiam gostos em comum, entre eles o gosto pela música. A banda formada em 2002, lançou seu primeiro material em 2003 e participou de algumas coletâneas da cena hardcore da região metropolitana. 

Já o clipe da música 'Havia Tanta' tem direção, produção e edição assinada pela Chama Vídeo Independente, liderada pelo videomaker Renato Souza. 
Atualmente, a banda é: Alisson (Vocal) Renato (guitarra), Gabas (baixo), Charuto (guitarra) e Gabriel (bateria). A banda é composta por figuras conhecidas da cena hardcore da região. As outras bandas que os integrantes tocam são CxFxCx, Simplez, I.C.H e Pernalonga.
Texto Redigido por Wender Zanon

quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

Simplez: gaúchos lançam o álbum "Dessa Vez Eu Sei"


Na velocidade do cotidiano, a banda Simplez divulga o seu terceiro álbum. Um hardcore veloz contando um pouco de histórias e fatos da vida na pegada veloz do gênero. Este que é o sucessor de "Tudo por 1 sentido na vida" lançado dez anos atrás. 

O álbum foi gravado no Estúdio Hurricane por Sebastian  Carsin. A produção ficou por conta de Luis Felipe Rodrigues “JR” e da própria banda. Todas as dez faixas são de autoria da Simplez. A cantora gaúcha Adrielle Gauer participa na faixa “Seguido”. Já a arte da capa é assinada pelo mesmo autor das outras duas capas da banda, Oscar "Backpack" O. Branchi.


Recentemente aproveitando o lançamento de inéditas, a banda produziu um vídeo clipe com uma das faixas mais pesadas do disco em termos de poesia e sonoridade. Faça Agora As Coisas Que Você Quiser” conta com produção e direção da Chama Vídeo Independente, liderado pelo videomaker Renato Souza que também é vocalista e baixista da Simplez. Você pode conferir o álbum completo no Spotfy .

Biografia:
A banda teve início em 2000, na cidade de Canoas. Lançou o primeiro CD intitulado apenas "Simplez", no ano de 2005. Nesse mesmo ano foi uma das quatro bandas a idealizarem o movimento BIL, que mais tarde seria chamado de COLETIVO B.I.L. (Bandas Independentes Locais) ajudando a fomentar a cena independente da cidade de Canoas e região. Em 2008, a Simplez lança o segundo CD chamado "Tudo por 1 sentido na vida”, contendo 17 faixas. 
Postagens mais antigas Página inicial